Pular para o conteúdo principal

Borboletas são lindas, mas amo libélulas


Aprendi
Com o tempo
As feridas cicatrizaram, minha alma está tranguila

Não sou uma flor, nem você uma borboleta,
Também amo a natureza,
Já te conheço, és minha libélula,

Eu continuo com o mesmo medo
Mas parece já, nos conhecemos,

Quando te vi, me arrepiei,
Simplesmente não sei explicar
Me, apaixonei, pelo teu belo sorriso,
Esse seu jeito é um charme não tem igual

Quando erra as palavras, gagueja,
Eu acho graça

Sei é um café, vou ter calma,

Espero te ver no meu almoço,

Te, prometo,
Um dia fazer o nosso jantar,

Ai você me deve, E tem que pagar, com infinitos beijos de amor

Comentários

Leandro disse…
Bah meu, muito bom teus poemas, vai se legal coloca uma melodia nessas letras, acho que vai da certo! Parabéns!

Postagens mais visitadas deste blog

Mentir

Ato
Ligeiro imediato
Diferentes fatos

Expert
Um talento herdado
Ou praticado

Raciocino
Criativo segue seu instinto
Benéfico
Depende do momento

Negativo
Quando apelativo
Positivo
Quando é preciso
Difícil
Conviver, mas às vezes é preciso.

Escrito por Cícero Ribas.

Juntos

Pode ser Não é um sonho Pode apostar Não é um jogo Pode arriscar Não esta sozinha Pode ter medo Não a, quem não tenha Pode ter certeza Não te largarei Pode confiar Não serei, mais um 
Escrito porCícero Ribas..

Tenho Raiva

Tenho raiva De mim Por não ter coragem de encarar
Tenho raiva Por ter medo Por que nunca tento
Tenho raiva Por sempre desistir Por não falar o que sinto
Tenho raiva Por me esconder atrás de desculpas Por não te assumir
Tenho raiva Por te querer Por estar sem você

Escrito porCícero Ribas