Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Correria dura do dia dia

Amanhece já é dia O sol me desperta embora ousa o despertador Puxando - me para fora Frio não quero, mas devo
Por que tenho que trabalhar
Banho renova- me O caminho é longe as vezes cansa Rápido, café pela estrada Fila tenebrosa paciência O jeito é esperar
Por que tenho que trabalhar
Horas de espera Não se senta no metro Cidade grande é correria Caus.do dia dia
Por que tenho que trabalhar
Atrasado para variar Semáforo quem disse que é fácil de atravessar Cara crachá na porta Elevador mais fila, décimo segundo andar Penalizado será que vão descontar Mesmo com desculpa
Por que tenho que trabalhar
Oito horas, um dia Uma semana, quarenta e quatro horas Um mês, duzentos e vinte horas Agonia, recebi que alegria Nada descontado, estou perdoado
Por que venho trabalhar!
EscritoporCícero Ribas

Bailarinos

Som sensibilidade absorvo Sutilmente ouso, faz parte de mim Movimentos saem naturalmente Passos são transformados em coreografias Ensaiadas quase que exaustiva Dor, cansaço, ritmo é só seguir meu compasso De olhos fechados já esta decorado Todos alegres sintonizados Transmitimos o desejado Emoção liberada em um palco Que apresentamos a vida é ela nos imita Por que a arte é amar dançar Liberar o que senti para a vida.
Escrito porCícero Ribas.

Destino

Distante continuo  Persisto, Sigo Talvez seja o caminho
Pedras Obstáculos, uma luta constante Derrotas já, não me abalam tanto
Já sei quem sou Guerreiro Não ergo espada, nunca fiz guerra Embora já esteja blindado
Vivo aprendendo Não temo, mal nunca desejo Pois o bem sempre levo comigo De peito aberto, pois nele confio

Escrito porCícero Ribas.